domingo, 27 de março de 2011

Riqueza


Ao olhar as horas, e esperar que chegues
Observo sempre como, tão depressa, minhas mãos já não sabem se portar
E quando, enfim, sob o mesmo teto, estamos à nos olhar, cegos de vontade …
Por matar uma saudade, que não nos deixou dormir, algumas noites atrás
Posso me acalmar, e abraçar … te envolver
Melhor não há, ou nem nada há que não seja te ter
No outro corpo, que pra mim sempre é o teu
Me visualizo em mimos apaixonados e certos, com teu nome à frente
Marcado em perfumes, todos quais me imprimes, ao te tocar … sentir

Te lembras do começo?
Onde minha voz falhava …
E meu coração, quase de beija-flor, faltava não bater de tão desesperado ?

Pois a flor que me era magnificamente tudo
Está em teus cabelos, naquele olhar que me dás quando estou saindo um pouco mais cedo
Por isso eu não canso de te beijar
Nem canso de nada que te tenha presente …
Minha única razão desvairada, que me faz ser tão bonito …
Porque sou verdadeiro, e mesmo que meu corpo não carregue a perfeição física
Aqui dentro de mim … nasce uma beleza nova, inventada, ressurgida … apaixonada
Uma imagem recorrente, um beijo com ardor, uma pedacinho do teu dia que dedicaste à me fazer companhia
Do simples ao fogo, tudo é belo
Que me falta o ar só de pensar em me faltar

Minha maior riqueza é …
Te prometer e cumprir ainda mais
Uma vez que te amo
Outra vez que te amo mais .

Daniel Sena Pires - Riqueza (20/12/2010)

6 comentários:

  1. i n e na r r á vel!

    Adorei, amigo, como sempre.
    Abraço

    ResponderExcluir
  2. AH!
    Roubei-te, como sempre também...
    Tá no blog.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Belissimo texto.
    Parabéns!!

    Eu amei

    ResponderExcluir
  5. Obrigado por todos os comentários ...
    Grande abraço.
    Grato pela visita.

    ResponderExcluir